Viva!

Naturopatia ∞ Nutrição e Alimentação Natural ∞ Medicina Chinesa - Acupuntura e Fitoterapia ∞ Medicina Energética Integrada Natural e Holística ∞ Terapia Quântica de Biofeedback: Detecção e Redução de Stress/ SCIO (Scientific Consciouness Interface Operation) ∞ Psicoterapia ∞ Auto-Conhecimento: EVOLUÇÃO! Venha redescobrir o seu real potencial!

19.5.13

A FONTE DA JUVENTUDE: OS 5 RITOS TIBETANOS


           Nesta vida acredito que todo o conhecimento deva ser partilhado para que continue a circular. Um amigo convidou-me a ler o livro A Fonte da Juventude de Peter kelder (sugiro o volume 2, mais completo). Foi uma excelente surpresa ter a oportunidade de conhecer mais técnicas de longevidade com saúde!
                O livro escrito em 1939 perdura por gerações, traduzido em 12 línguas, inclusive em Braille e já reeditado algumas vezes. O conhecimento ainda hoje é muito divulgado inclusive de boca a boca. O livro conta a história de 5 exercícios antigos utilizados pelos lamas tibetanos, trazidos ao ocidente por um oficial reformado do Exército britânico identificado como Coronel Bradford.
                Os 5 ritos, como são chamados, pretendiam dar acesso a fabulosa fonte da juventude presenciada pelos centenários lamas no Tibet, com 15 a 20 minutos diários. No volume 2 do livro, temos a oportunidade de encontrar diversos depoimentos que os editores recebem desde 1985 entre cartas e e-mails, de pessoas que seguem os ritos diariamente e seus benefícios na saúde.
Alguns comentários são mesmo impressionantes, desde aumento da flexibilidade da coluna, diminuição das dores articulares, diminuição na necessidade de medicamentos, controlo da ansiedade, até mais equilíbrio, energia, vigor, disposição, tónus muscular, flexibilidade e curiosamente muitos com diminuição dos cabelos brancos.
A maioria relata melhoria generalizada da saúde e menor necessidade em dormir, com um sono mais profundo e reparador. Muitos também denotam alívio de dores de cabeça, tensão pré-menstrual, congestão nasal, sinusites, infecções respiratórias e se dizem mais resistentes as enfermidades comuns como gripes e resfriados. Além de equilíbrio do peso, há igualmente muitos que afirmam que os ritos têm um efeito benéfico sobre a visão, audição, memória e concentração, aguçando todos os sentidos.
Pessoas com fibromialgia, acidentes de coluna vertebral, artroses, por vezes levaram meses até conseguirem completar a rotina completa dos 5 ritos, mas notaram regeneração impressionante ao insistirem diariamente.
 Entre os mais diversos depoimentos vemos apoio do Dr. Deepak Chopra médico e escritor sobre métodos anti-envelhecimento, Dr. Robert Cope otorrinolaringologista que relata sugerir os ritos a vários clientes e Dr. Bowen neurologista quiroprático que diz: “os ritos estimulam os mecano-receptores e elevam o estado integrativo central que, por sua vez, afeta o sistema imunológico, a digestão, a respiração, a atividade cardiovascular e a excreção. É por isso que a prática dos ritos diminui a probabilidade da pessoa ficar resfriada ou gripada, retarda o desenvolvimento de doenças degenerativas associadas à idade e combate uma grande variedade de moléstias, da artrite à sinusite. Eu vi pacientes com esporões, uma espécie de osteoartrite que resulta na fusão das articulações afetadas. Quando os nervos dessas articulações são estimuladas pelos ritos, os esporões praticamente se dissolvem. As radiografias provaram conclusivamente que os esporões desapareceram por completo, e eu acredito que isso se deve à combinação do tratamento médico com a prática desses exercícios.”
                Há mais de 5 anos que o Dr. Bowen vem incluindo os 5 ritos em sua rotina cotidiana, e diz que eles substituíram a chávena de café matinal, pois são um meio muito mais eficaz de mantê-lo desperto. “Quando pratico os 5 ritos, eu aumento a minha capacidade de fazer tudo quanto quero fazer, maxi mizando o meu potencial como ser humano”, diz.

OS 5 RITOS

                Antes de começar a praticar os 5 ritos, é bom saber algumas coisas importantes:


  1. Na primeira semana, faça 3 vezes cada um dos 5 ritos, uma vez por dia. Depois durante 9 semanas, acrescente semanalmente 2 repetições a cada um deles. Passadas as 9 semanas, estará a fazer 21 vezes cada rito. Comece num ritmo lento e acompanhe o ritmo da respiração a cada execução. Se quiser pode fazer 2 vezes ao dia, porém é desnecessário mais do que 21 repetições para alcançar os resultados desejados.
  2. Pratique os 5 ritos conforme orientações. Qualquer mudança anula-lhes o efeito. Mesmo que tenha excelente forma física e seja capaz de repetir mais vezes, limite-se ao número prescrito. Se estiver em busca de mais desafios, pratique os ritos mais depressa ou complemente com outros exercícios físicos a sua escolha.
  3. É inevitável que, em certos dias, lhe seja impossível executar a rotina completa, por estar muito ocupado ou doente. Repita apenas 3 vezes cada rito, o que lhe tomará apenas 2 minutos, é muito melhor do que não fazer absolutamente nada.
  4. Qualquer tipo de exercício novo para o corpo deve ser feito com cuidado. A prática dos ritos desencadeia muitas alterações físicas. Inicialmente, os ritos, que estimulam a circulação, podem ter um profundo efeito desintoxicante, e esta é a razão para chegar a rotina completa gradualmente. No começo é possível que se notem urina e suor com odores mais intensos, maior expectoração nas vias aéreas ou incómodo nas articulações. Qualquer alteração é temporária e desejável. São manifestações físicas dos tóxicos e poluentes que estavam armazenados e passam a ser expelidos. Se forem mesmo do processo de desintoxicação devem desaparecer em cerca de 1 semana, em caso de dúvidas consulte um médico ou técnico de saúde. Lembre-se a desintoxicação é essencial para que se sinta melhor. Se a reação lhe parecer demasiado grande, diminua o número de séries de cada rito e faça-os mais devagar.
  5. Importante beber mais água que o de costume para auxiliar a “lavar” o organismo. Fica aqui também a lembrança de que a rotina dos 5 ritos são excelentes oportunidade para se reduzir ou eliminar o consumo de tabaco e café. Além de valorizar o consumo de frutas, verduras, legumes e cereais integrais. Diminuir lácteos, porco, vaca, alimentos ricos em açúcar, gorduras e pão.
  6. Aqueça antes de iniciar, rode os punhos e aperte-os com força 2 a 3 vezes, mexa os ombros para trás e para frente, o pescoço para trás, para frente e para os lados e saltite levemente para aquecer as pernas.
RITO 1


Posição inicial:
ü      Fique de pé, com os braços na linha dos ombros estendidos e paralelos ao chão, a palma das mãos voltadas para baixo. Os ombros não devem estar erguidos nem tensos.
                                      Ação:
ü      Imagine um relógio no chão, sob os seus pés, gire na mesma direção dos ponteiros da esquerda para a direita, fazendo um ciclo completo (como se o braço esquerdo se movesse como os ponteiros do relógio, da hora 9 para a 3 e depois volta para a 9). Comece e termine devagar, acelerando e desacelerando gradualmente.
ü      Pode ser que fique ligeiramente tonto. Para aliviar essa sensação, concentre-se num ponto bem a sua frente antes de começar. Ao girar tente retornar o olhar para o mesmo ponto o máximo possível e manter a linha do olhar enquanto gira. Quando o ponto voltar ao seu campo visual, volte a enfocá-lo.
ü      Ao terminar as repetições respire fundo algumas vezes pelo nariz, relaxe o corpo e deite-se para se preparar para o rito 2. Espero que a eventual tontura desapareça por completo. Não inicie o próximo rito até se sentir completamente equilibrado.

RITO 2


Posição inicial:
ü      Deite-se de costas no chão, com as pernas estendidas. É melhor fazê-lo num colchão grosso, colchão de ginástica ou uma superfície acolchoada para proteger a espinha e evitar contato com o piso frio.
ü      Coloque os braços junto ao corpo, paralelamente a ele, palmas das mãos para baixo e dedos unidos.
            Ação:
ü      Inspire pelo nariz ao mesmo tempo que ergue a cabeça do chão, encoste o queixo no peito. Simultaneamente, levante as pernas unidas, até chegue numa posição próxima da vertical.
ü      É importante manter as pernas o mais esticadas possível. Se você não conseguir conservá-las perfeitamente esticadas, dobre os joelhos apenas o absolutamente necessário. Esforce-se para conseguir erguê-las sem dobrar os joelhos.
ü      Enquanto expira suavemente pelo nariz, vá baixando devagar ao mesmo tempo a cabeça e as pernas do chão, sempre procurando mantê-las tão esticadas quanto possível.
ü      Relaxe os músculos por um momento e repita o movimento.

RITO 3


Posição inicial:
ü      Ajoelhe-se no chão com a parte inferior das pernas estendidas atrás de si, os dedos dos pés dobrados e o resto do corpo ereto.
ü      Segure as coxas com as mãos, os polegares voltados para frente e permita os cotovelos levemente fletidos. Inspire pelo nariz.
              Ação:
ü      Expire suavemente pelo nariz enquanto inclina a cabeça e o pescoço para frente, encostando o queixo no peito.
ü      Inspire devagar e profundamente ao mesmo tempo que se inclina para trás de modo que o tronco fique por cima da parte inferior das pernas. Acompanhe com a cabeça e pescoço o arquear da espinha, inclinando-a suavemente para trás o máximo possível.
ü      Expire pelo nariz e volte a posição inicial. Inspire e repita.

RITO 4


Posição inicial:
ü      Sente-se no chão com a espinha reta, as pernas totalmente esticadas à sua frente, os pés separados na largura dos ombros e dedos para o teto.
ü      Ponha as palmas das mãos no chão, lado a lado com as nádegas, ficando os braços retos, os dedos apontados para os pés.
          Ação:
ü      Expire e encoste o peito no peito. Inspire devagar ao mesmo tempo que vai inclinando a cabeça para trás ao máximo que for naturalmente possível. Erga o tronco enquanto continua inspirar lenta e profundamente. Seus joelhos devem ficar sobrados, posicionados acima dos tornozelos, os braços retos, perpendiculares ao chão. O peito, o abdómen e as coxas devem formar uma ponte ou um arco. Fique com os pés bem assentados no chão.
ü      Nesta posição faça a contração de todos os músculos do corpo;  empurre o períneo e a zona das nádegas para cima e retenha a respiração. Então expire gradual e totalmente pelo nariz, esvaziando os pulmões enquanto relaxa os músculos e volta à posição original.
ü      Descanse um momento, inspire e repita.

RITO 5

Posição inicial:
ü      Comece deitando-se de bruços, as pernas esticadas e dedos dos pés dobrados debaixo delas. Coloque as mãos diretamente sob os ombros, com a palma para baixo. Os pés devem ficar separados na largura dos ombros, alinhados com as mãos, a fim de lhe proporcionarem uma base sólida.
ü      Erga o corpo, inclusive as pernas, esticando bem os braços perpendicularmente ao chão e flexionando os artelhos. Esta posição lembra uma flexão de braços modificada, a espinha deve ficar arqueada, o peito erguido e esticado/aberto e a região da lombar curvada.
        Ação:
ü      Inspire lentamente pelo nariz ao mesmo tempo que inclina suavemente a cabeça para trás, o máximo possível.
ü      Continue inspirando ao curvar os quadris, levando o corpo a formar um “V” de ponta cabeça. À medida que passar para esta posição, sua cabeça irá naturalmente para frente. Encoste o queixo no peito de modo a conseguir ver os seus pés, que agora estão quase totalmente plantados no chão, só com os calcanhares um pouco erguidos.
ü      Expire pelo nariz, esvaziando completamente os pulmões, enquanto volta à posição arqueada, com os braços e pernas eretos. Inspire e repita.

Veja o vídeo de um grupo a fazer os ritos em conjunto:




Bibliografia: texto adaptado do livro: A Fonte da Juventude – volume 2 de Peter Keller editora Best Seller.