7.5.12

AR PURO E RESPIRAÇÃO ADEQUADA: o melhor dos remédios


“Um ser humano pode sobreviver vários dias sem comida, poucos dias sem água, mas somente alguns minutos sem ar”.

O ar puro, às vezes, é mais benéfico que muitos remédios e pode ser mais necessário que o alimento. O oxigénio, presente no ar em proporções adequadas para nosso cérebro, fortalece a mente, esclarece-a, tonifica-a e torna-a muito mais produtiva.
A qualidade do sangue depende da complexa oxigenação dos pulmões. Só a maneira completa de respirar consegue isso. Através das trocas gasosas, nos alvéolos pulmonares, se dá a transformação do sangue venoso em arterial, a eliminar as impurezas. O fígado e os rins também auxiliam no processo de limpeza.
Segundo o pesquisador Roy Walford, MD no livro Golden Ratio Lifestyle Diet, pessoas com baixa CV (Capacidade Vital dos pulmões), não vivem tanto quanto as pessoas com boa CV, portanto respirar trata-se de um importante bio-marcador da verdadeira idade biológica. A CV é medida em quanto ar você consegue colocar para fora depois da máxima inalação.
As afecções não se alastram na presença de oxigénio. Um sangue rico em oxigénio e perfeitamente purificado leva cura a qualquer parte do corpo em processo infeccioso. Consegue neutralizar as impurezas de uma infecção até a sua eliminação, pois assim o sistema de defesa terá todas as condições para um bom trabalho.
Caso haja pouco oxigénio, o sangue segue para nutrir o corpo ainda repleto de toxinas. Os rins e o fígado não conseguem eliminar tudo o que é necessário. Este quadro favorece a propagação das toxinas para todo o corpo, favorece o processo de envelhecimento e o aparecimento de doenças.

AR NA MEDIDA: para evitar excesso de toxinas no corpo, ter o sangue limpo e garantir muito boa digestão:

·        Coma na presença de ar puro. Se for possível caminhe ao sol e ao ar livre após a alimentação (são grandes facilitadores da digestão);
·        Faça exercícios físicos e exercícios respiratórios (o melhor sempre será o ar da manhã).
·        Durma na presença de ar puro. Empenhar-se para que durante a noite, o ar puro entre no quarto;
·        Usar roupas de fibras naturais. Algodão, linho ou cânhamo cru são os tecidos ideais para se deixar em contacto com o corpo. Evitar o contacto directo com substâncias sintéticas ou lã.
ü    Vamos saber mais? Como é uma respiração adequada?
A respiração ideal é a completa. Inicia-se na parte baixa dos pulmões, com o auxílio do diafragma, a elevar o peito, de maneira rítmica, uniforme e regular, alcança a parte média e atinge a parte superior. Assim, todo o pulmão trabalha.
A melhor técnica para exercitar a respiração e o cérebro é de origem indiana e é praticada pelos adeptos do ioga, chama-se PRANAYAMA. É muito fácil aprender e terá maior facilidade em raciocinar e coordenar os picos de stress. Tenha consciência da importância de realizar técnicas respiratórias em seu dia-a-dia. Contribui para equilibrar o sistema nervoso e acalma a mente, pode fazer nos picos de tensão ou confusão, ou até mesmo para adormecer mais rapidamente.

·        RESPIRAÇÃO PRANAYAMA: aumento de consciência e melhora da gestão do stress.
      Para a prática do Pranayama encontre uma posição confortável. Há quem considere certas posições mais “adequadas” ao pranayama e à meditação. Temos de ser práticos: a melhor posição é aquela que lhe for mais confortável, deste que mantenha a cabeça, a coluna e o pescoço alinhados.
      O pranayama está ao alcance de todos. Ser capaz de respirar é o seu único requisito. Se estiver doente ou fisicamente debilitado, pratique deitado. Ou, melhor ainda, flita os joelhos e aproxime-os do tórax. Afaste os pés à largura das ancas e vire os dedos para dentro, uma posição confortável com menor risco de adormecer.
      A posição clássica é o Padmasana: posição de lótus, em que se cruzam as pernas e os pés repousam sobre as coxas, só é aconselhável se for extremamente flexível das ancas.
Pode sentar-se numa cadeira ou apenas cruzar as pernas e sentar em cima de um cobertor dobrado. Encontre a sua melhor posição.
1.     Sente-se comodamente de olhos fechados. Junte o polegar e o dedo médio da mão direita com a palma voltada p cima e deixe-a repousada.
2.    Tape a narina direita e inspire profundamente pela narina esquerda inale o ar, a contar de 6 a 12 pulsações (a encher completamente o pulmão).
3.     Retenha o ar, a contar 6 a 8 pulsações.
4.    Solte o ar pela narina direita, a contar de 8 a 12 pulsações (a esvaziar completamente o pulmão, como se o umbigo tocasse as costas).
5.     Conte 6 pulsações antes de inalar novamente.
6.    Inspire profundamente pela narina direita e inale o ar, a contar de 6 a 12 pulsações (a encher completamente o pulmão).
7.     Retenha o ar, a contar 6 a 8 pulsações.
8.    Solte o ar pela narina esquerda, a contar de 8 a 12 pulsações.
9.    Retenha o ar, a contar 6 a 8 pulsações.
10.                        Recomece: inspire profundamente pela narina esquerda e inale o ar, a contar de 6 a 12 pulsações.
11.                         Uma sequência é composta por três inspirações em cada narina, e começa e termina com uma expiração da narina esquerda. Realize 5 sequências e descanse o braço o tempo que precisar ou alterne as mãos antes de cada sequência. Deixe-se levar pela paz e tranquilidade da mente durante o exercício e de cada pausa natural de cada exercício.
Se não conseguir inalar a contar 12 pulsações, pode começar com 6 e ir a aumentar até quando for possível.
 Ø     Dica: imagine que tem um pires com cinzas à frente da narina, debaixo do nariz. Se inspirar ou expirar com muita força, inalará as cinzas ou as deitarão para fora do pires em cima de si. Controle o ritmo a mentalizar este ritmo regular.

Além disso, veja alguns exemplos de exercícios para trabalhar a respiração adequada (ideal ao ar livre):

·        RESPIRAÇÃO PURIFICADORA: esta respiração é especialmente boa para ser feita em períodos de doença, principalmente as das vias respiratórias (pulmões).
1.     Inale uma respiração completa.
2.    Retenha o ar por alguns segundos.
3.     Coloque os lábios como se fosse assobiar.
4.    Exale só um pouco (mais ou menos metade que se inalou), através dos lábios nessa posição, mas sem empolar as faces. Espere alguns segundos.
5.     Exale o resto do ar em pequenas porções.
6.    Descanse alguns segundos e reinicie.

·        RESPIRAÇÃO TONIFICADORA: é especialmente boa para ser feita em períodos de stress, insónia, tensão ou apenas para bem-estar.
1.     Inspire completamente e expire completamente sempre pelo nariz (a encher e esvaziar todo o pulmão, como se o abdómen pudesse tocar as costas).
2.    Repita este processo 20 vezes bem rápido, depois repita 20 vezes moderadamente, depois repita 20 vezes lentamente.
3.     Ao concluir 1 ciclo de 60 respirações, reinicie novamente o ciclo de 20 repetições rápidas, depois 20 moderadas e 20 lentas (sempre nasais) até completar o mesmo ciclo de 60 repetições 3 vezes, ou seja, ao todo serão 180 respirações.

·        RESPIRAÇÃO PASSO A PASSO: é ideal para realizar durante as caminhadas. Ao caminhar normalmente, mantenha a cabeça erguida, o ventre ligeiramente encolhido, os ombros soltos.
1.     Inale uma respiração completa, contando mentalmente de 1 a 8. Cada passo, um número. A inalação deve durar 8 passos.
2.    Exale a contar os passos até 8, um número cada passo.
3.     Repita. Quando cansar, repouse e reinicie em seguida. Adapte o número de passos à sua capacidade.

Comece agora mesmo a praticar a sua respiração!
Força!
Referências bibliográficas:
 
Roy Walford, MD : Golden Ratio Lifestyle Diet.

Brown, Christina: Ioga. Parragon Books.